Home > Artigos > Assim o Sagrado Coração de Jesus transformou um bairro pobre ferido pelo suicídio de jovens

Assim o Sagrado Coração de Jesus transformou um bairro pobre ferido pelo suicídio de jovens

Entre agosto de 2015 e início de 2016, a Villa Elvira da cidade La Plata, na Argentina, sofreu o duro golpe de 5 suicídios sucessivos de um grupo de jovens amigos. O medo e o desespero se apoderaram da região, mas tudo mudou em junho daquele último ano, quando decidiram consagrar a localidade ao Sagrado Coração de Jesus.

A história remonta a 23 de agosto de 2015, quando um jovem de 19 anos chamado Gustavo se enforcou fora de sua casa. Para recordá-lo, seus amigos fizeram uma ermida para ele e começaram a se reunir lá quase todas as noites. Depois de um mês, outro jovem do grupo se matou e assim sucessivamente até o começo de 2016. No total, foram cinco mortes e várias tentativas de suicídio.

A Madre Maria Harissa Achem, superiora local da comunidade das Irmãs Servas do Senhor e da Virgem de Matará, responsável pelo Oratório Dom Bosco de Villa Elvira, explicou que esse drama tem grande parte de suas raízes no fato de “que os jovens não têm grandes ideais por causa da pobreza e da droga”.

A religiosa explicou que, “quando chegam aos a 13 ou 14 anos, a maioria não consegue terminar o ensino médio e começa a trabalhar em alvenaria ou eletricidade. Muitos deles se reúnem à noite no bairro geralmente para conversar, mas também circula a droga”.

“Nós trabalhamos neste bairro pobre há quase 11 anos. Os meninos e meninas vêm para cá tomar o café da manhã, aprender a ler e escrever, rezar. Conhecíamos esses jovens que se mataram desde pequenos, era nossos filhos”, assinalou a religiosa.

“Muitos das nossas crianças e jovens aprenderam a ter uma linda relação com Deus”, continuou a Madre Harissa. “Por isso, quando os primeiros meninos começaram a se matar, os demais ficaram assustados e vieram nos pedir ajuda espiritual”.

Segundo relatou a religiosa, “providencialmente”, os jovens foram pedir ajuda em junho daquele ano, “no mês do Sagrado Coração de Jesus”.

“Então, começamos a pedir ao Sagrado Coração pelos meninos e, finalmente, decidimos incentivar para que o bairro se consagrasse a Ele para que abençoe os lares”, sustentou.

A religioso explicou que “depois os meninos começaram a dizer que queriam destruir a ermida feita pelos jovens, que era uma espécie de casa com as fotos dos que se mataram, já que diziam que isso os estava levando a querer fazer o mesmo”.

“Eles mesmos destruíram aquela casinha”, recordou a Madre Harissa. E, na primeira semana de julho, “o Bispo auxiliar de La Plata, Dom Alberto Bochatey, visitou o local e decidiu fazer um exorcismo. O medo e o pedido de auxílio dos jovens foi o motivo que nos levou a fazê-l  (  View image on Twitter  )

 “As famílias do bairro estão muito gratas”, disse a religiosa, “porque jovens, quando se reúnem agora, fazem-no tranquilos e diante de uma imagem do Sagrado Coração que colocam no lugar e que de alguma maneira os protege”.

Quanto às famílias das vítimas, explicou que “estamos acompanhando e, no geral, estão mais tranquilos. Antes, estavam muito desesperados. Inclusive alguns vêm às Missas dos domingos”.

“Acredito que foi a volta de Deus o que fez com que isso parasse, que pedissem ajuda a Deus por meio de nós e consagrassem ao Sagrado Coração”, disse a Madre Harissa.

“Sem dúvidas, desde que o bairro se consagrou ao Sagrado Coração de Jesus, há mais tranquilidade”, acrescentou.

Em 2 de outubro daquele ano, o Arcebispo de La Plata, Dom Héctor Aguer, visitou a Villa Elvira e presidiu uma Missa pelos jovens que se suicidaram. Ele convidou a “viver uma fé profunda, que fundamente nossa esperança e alimente nossa caridade”.

“Devemos pedir o dom da fé a agradecer por ele todos os dias. No bairro deve reinar o Senhor da Paz. Aqui, quem tem que reinar é Deus”, destacou o Prelado.

“Devemos ter o valor do perdão, confiar na misericórdia de Deus e ser o povo da Vida e a ‘vida em abundância’”, sublinhou.

ACI

Leave a Reply