Dois meses após incêndio, será celebrada primeira Missa na Catedral de Notre Dame

Dois meses após incêndio, será celebrada primeira Missa na Catedral de Notre Dame

15 de junho de 2019 0 Por PORTAL ACI

Será celebrada no próximo fim de semana a primeira Missa na Catedral de Notre Dame, em Paris (França), dois meses após o incêndio que assolou este templo em 15 de abril deste ano.

A Missa será presidida pelo Arcebispo de Paris, Dom Michel Aupetit, em uma capela ao fundo da Catedral, que não foi afetada pelo incêndio, com a presença de um número reduzido de pessoas, as quais deverão usar capacetes como medida de segurança.

A data escolhida para a Missa se deve à festa da Dedicação da Catedral de Paris, que costuma ser celebrada em 16 de junho.

Em declarações à revista católica ‘Famille Chrétienne’ (Família Cristã), o reitor da Catedral, Mons. Patrick Chauvet, disse que “esta data é simbólica. Será a festa da dedicação da catedral, da consagração do altar”.

“É muito importante poder mostrar ao mundo que o papel da catedral é mostrar a glória de Deus. Celebrar a eucaristia nesse dia, ainda que num grupo reduzido, será um sinal dessa glória e dessa graça”, acrescentou.

Além disso, espera-se ainda a decisão das autoridades em relação à abertura do pátio em frente ao templo, permitindo a aproximação dos parisienses e dos turistas.

Ainda em entrevista a esta revista católica, o reitor falou sobre o projeto de construção de um pequeno “santuário mariano”, com uma réplica da Virgem do Pilar de Notre-Dame, onde os católicos possam ir durante o período de restauração da Catedral.

“É importante que os católicos tenham um lugar físico para realizar as suas orações. Mostra que, mesmo que a Notre Dame esteja em obras de reconstrução, ela está aberta, e isso manterá a ligação entre os fiéis e a Igreja”, declarou.

Em 15 de abril, um incêndio devastador começou no templo pouco antes das 19h. O telhado e o pináculo foram destruídos pelo fogo, porém as estruturas principais não foram danificadas.

Entre os tesouros que foram resgatados no templo estão as relíquias de um cravo e a sagrada coroa de espinhos.

No último dia 27 de maio, o Senado da França aprovou um projeto de lei segundo o qual o emblemático templo parisiense será restaurado de acordo com o “último estado visual”.

Esta decisão foi tomada depois que o governo do presidente Emmanuel Macron convocou um concurso de arquitetura para receber diversas propostas de restauração. O mandatário havia encorajado “uma reconstrução inventiva” da catedral histórica, patrimônio da França.