Assim aconteceu hoje o tradicional “milagre da neve” na Basílica de Santa Maria Maior

Assim aconteceu hoje o tradicional “milagre da neve” na Basílica de Santa Maria Maior

5 de agosto de 2019 0 Por A Santa Sé

Como já é tradição, a cidade de Roma comemorou o “milagre da neve” que levou à construção da atual Basílica de Santa Maria Maior, o primeiro santuário cristão dedicado a Nossa Senhora no Ocidente.

Por esta razão, o Arcipreste de Santa Maria Maior, Cardeal Stanislaw Rylko, presidiu uma Missa solene, na manhã deste dia 5 de agosto, para recordar a dedicação desta importante Basílica da capital italiana.

O “milagre da neve” ocorreu no dia 5 de agosto de 358, quando era Sumo Pontífice o Papa Libério. O Santo Padre, um patrício romano chamado João a esposa deste último sonharam que a Virgem Maria lhes pedia para construir uma igreja no lugar onde encontrariam neve fresca no dia seguinte. 

O sonho ocorreu na madrugada de 5 de agosto, em pleno verão romano e quando as probabilidades de neve são remotas na cidade de Roma.

No entanto, nevou milagrosamente na colina de Esquilino e, uma década depois, construiu-se no seu perímetro o primeiro santuário dedicado a Nossa Senhora no Ocidente. Depois, o Papa Sisto III, no ano 431, construiu a Basílica de Santa Maria Maior, tal como se encontra na atualidade.

De fato, a Basílica de Santa Maria Maior é a maior igreja dedicada à Virgem Maria em Roma. Foi construída após o Concílio de Éfeso (431), no qual foi solenemente proclamado que Nossa Senhora é a Mãe de Deus.

Missa Solene com o Arcipreste

Por isso, como todos os anos, os fiéis de Roma juntos com numerosos turistas celebraram este acontecimento na manhã desta segunda-feira, 5 de agosto, na Basílica, e presenciaram uma chuva de pétalas de rosa branca, que  simulam a neve, durante a oração do Glória na Missa solene.

Durante a homilia, o Arcipreste da Basílica de Santa Maria Maior, Cardeal Stanislaw Rylko, destacou a importância dos Santuários Marianos para a fé e a devoção dos fiéis.

Referindo-se à passagem bíblica que descreve as palavras de Jesus Cristo na Cruz, o Purpurado assinalou aos presentes que o Senhor entregou Maria à humanidade quando disse: “Eis aí tua mãe”.

“Por ocasião desta grande festa da Basílica de Santa Maria Maior, Jesus Cristo também nos dirige, a cada um de nós, esta palavra: “Eis aí tua mãe”. Este convite sugere ter confiança nela, sem temor, e escutá-la, deixar-se guiar por ela”, afirmou o Cardeal Rylko.

Assim, o também Presidente Emérito do Pontifício Conselho para os Leigos ressaltou a importância do “olhar e das palavras de uma mãe”. E acrescentou que “este é o mistério mais profundo desta antiga Basílica Mariana de Roma”.

“Aqui, Cristo continua confiando sua mãe a cada um de nós. ‘Eis aí tua mãe’ e nós, como o apóstolo João, somos chamados a levar Maria à nossa casa, a permitir que Ela entre em nossas vidas, para torná-la partícipe de nossas alegrias, de nossos problemas, dos desafios que enfrentamos todos os dias”, indicou o Purpurado.

Por isso, o Cardeal Rylko incentivou a agradecer ao Senhor pelo dom da maternidade de Maria. “Como não agradecer por este imenso dom? Como não agradecer a Maria ‘Salus Populi Romani’, salvação do povo romano?”.

“Não nos esqueçamos das palavras de Nossa Senhora pronunciadas durante as bodas de Caná. Nossa Mãe hoje, como então, continua dizendo a cada um de nós: façam tudo o que Jesus vos disser”, concluiu.

Devoção do Santo Padre

Além disso, esta Basílica tem um significado especial para o Papa Francisco, lugar que visitou na manhã do primeiro dia de seu pontificado, em 14 de março de 2013, para confiar seu ministério petrino à Mãe de Deus diante do antigo ícone de Maria ‘Salus Populi Romani ‘, protetora do povo romano.

Desde então, toda vez que faz uma viagem fora de Roma, o Papa Francisco vai a esta Basílica para rezar antes e para agradecer depois de toda visita apostólica internacional.

Desde 1983, o “milagre da neve” também é recordado com um espetáculo de som e luz na praça próxima à Basílica, onde também cai “neve” artificial. A solenidade da dedicação desta Basílica Maior foi precedida por um tríduo de oração realizado de 2 a 4 de agosto.